domingo, 31 de outubro de 2010

O Selo Que Descobriu Os The Doors

E aí pessoal, hoje vou postar um pouco sobre o descobrimento do The Doors. Um dos selos mais importantes na explosão do psicodelismo foi o Elektra , criado em 1950 e que abraçou a nova geração folk que aparecia no Village. A gravadora lançou The Paul Butterfield Blues Band, grupo liderado pelo gaitista Paul Butterfield que fazia uma fusão de blues, rock and roll, jazz e psicodelia. Seus dois primeiros discos pela Elektra, em 1965 e 1966, são considerados clássicos do gênero.
O grande sucesso comercial do selo foi o grupo Bread, que em 1969 lançava seu primeiro álbum. Outro grupo foi love, um dos mais cultuados da geração psicodélica. Lançou seu primeiro álbum em 1966 e,no ano seguinte, o disco Da Cappo, que, segundo alguns alguns críticos da época, inspirou os Rolling Stones na música "She's a Raimbow" (que traz os versos "She comes in colours", nome de uma das faixas de Da Cappo). Ainda em 1967, o Love lançou aquele que se tornaria o álbum mais cultuados da história do psicodelismo , Forever Changes que até hoje aparece nas listas dos melhores álbuns de todos os tempos.
Um detalhe interessante na música do Love era a que seu líder, Artur Lee, era um amante de música flamenca, e isso acabou influencindo na mistura de folk, rock, jazz e orquestração pop.
O grupo fez muito sucesso nos Estados Unidos, mas na Inglaterra sempre foi aclamado pelas críticas.Entretanto, a banda mais aclamada no selo Elektra foi sem dúvida os The Doors. O grupo começou em Los Angeles em 1965, com Ray Mazarek nos teclados, Jim Morrison no vocal, John Desmore na bateria e Rbby Krieger na guitarra. É interessante que a banda nunca teve baixista, uma vez que todas as linhas de baixo eram feitas por Mzarek em seus teclados, o que acabou se tornando uma marca registrada.
O primeiro álbum dos The Doors foi lançado em janeiro de 1967 e pode ser considerado um clássico da psicodelia e do rock. O primeiro grande hit "Light My Fire", que na época sofreu cesura e, para variar, o programa de Ed Sullivan tentou impedir que Morrison cantasse alguns versos da canção. A música que encerra o disco é "The End", um épico de quase 12 minutos que se tornou um dos maiores clássicos do Rock, servindo de trilha sonora para o filme Apocalypse Now, dirigido por Francis Ford Coppola em 1979.



6 comentários:

Hector disse...

estou te seguindo. Siga-me tbm!
http://fazendoasocial.blogspot.com/

Sandro Mangueirense disse...

Embora o rock não seja muito minha praia, sem dúvida que reconheço no "The Doors" um dos ícones do gênero!

Belo blog!

Wellington disse...

Li seu post ao som de "Light My Fire" para dar um clima! Gostei do plano de fundo de seu blog e vou te seguir! The Doors é muito bom, estou baixando o álbum do link de seu post! =)

Abraços!

http://neowellblog.wordpress.com/super-blogs/parcerias/

Igor Guarisa disse...

vlw pessoal,tb gosto muito de The Doors.PS: se o link não estiver baixando ou se estiver com vírus avisem, que a gente muda.

Luca disse...

Companheiros do BLOG, por favor não esqueçam de visualizar as postagens antigas, do ínicio do Blog, pois o conteúdo é muito bom,,
OBRIGADO

arturcabralcesar disse...

Cra gostei muito, The Doors é muito bom, vou baixar o álbum.

Postar um comentário